Abril 15, 2014

ENQUANTO ISSO NA SALA DE JUSTIÇA…

14 de abril de 2014
A última canetada de Cabral

No apagar das luzes, o então governador Sérgio Cabral fez um chamego no bolso dos magistrados. Assinou o Projeto de Lei 2.889/2014, no qual prevê o resgate dos depósitos para quem contribuiu para o fundo de reserva para aposentadoria, antes da criação do Rio Previdência, em 1999. O texto está na pauta para ser votado hoje, a toque de caixa, na Alerj. Segundo a presidenta (sic) do Tribunal de Justiça, Leila Mariano, 300 magistrados da ativa e aposentados têm direito a receber.

A abertura dos cofres foi chancelada por Cabral pouco antes de deixar o Palácio Guanabara. Ele foi recebido em almoço no Foro Central. No cardápio, bacalhau e filé mignon, regados a champanhe. No evento, Cabral e desembargadores riam à toa. O valor a ser pago a um deles chega a R$ 600 mil. Enquanto isso, a coluna segue procurando projetos que beneficiem o cidadão e sejam votados com rapidez pelos deputados.

——————-

Pois é…
Esse é o mesmo “cidadão" que disse NÃO PODER assinar e enviar a Mensagem à ALERJ com o aumento dos Policiais Civis que vem sendo negociado de forma ORDEIRA e CIVILIZADA há quase um ano.

Mas faz sentido, não é?
POLICIAIS não julgam as ações de IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA e não apreciam os ORÇAMENTOS E GASTOS DO ESTADO que devem ser submetidos à Lei de Responsabilidade Fiscal, portanto nada mais “justo" do que privilegiar aos Magistrados que, como disse um Juiz em uma das escutas em certa operação da Polícia Federal: "O poder está na caneta do Juiz".

E de mais a mais, qual policial poderia pagar ao ex-governador um jantar tão faustoso e pródigo em itens de tanta qualidade?

Porém, e sempre existe um porém, agora caberá ao Governador em exercício encaminhar a Mensagem à ALERJ com o aumento dos AGENTES DE AUTORIDADE para diminuir (Como foi que disse mesmo o Sérgio Cabral?) o abismo salarial existente entre Delegados e Agentes.

E nós, que somos aqueles que efetivamente fazemos essa polícia funcionar, INVESTIGANDO os delitos e carregando o piano nas costas, queremos saber se nossas famílias vão continuar a serem sacrificadas e mantidas em um estado de miserabilidade ou se finalmente poderá haver um pouco de reconhecimento e justiça em nossos contra-cheques?

Neste sentido, esclarecemos às nossas “lideranças" de que a INSTITUIÇÃO Polícia Civil não pode mais ser vilipendiada, abandonada e tratada como se fossemos meros “assessórios descartáveis”, porque o futuro dela está em jogo neste momento.

Como dissemos alhures, já chega desse papo furado, de empulhação, deste joguinho de faz de conta, onde alguns sentam à mesa do poder para se refestelar com os regalos dos palácios, enquanto outros são deixados à mercê dos cães e dos restos, comendo da XEPA da feiras, dos restos que caem das mesas dos “poderosos" e de seus lacaios, instalados em cargos públicos.

Alice, Alice, Alice…
Pare de tomar esse chazinho alucinógeno com o Coelho Branco e o Chapeleiro Louco, porque os “soldados" da Rainha de Copas estão ávidos por ação e esta só pensa em uma coisa, só tem um brado e um bordão:
”- Cortem-lhe a cabeçaaaaaaaa!!!”

Comments (View)

COMEÇOU O SHOW DAS MATÉRIAS PAGAS

Grupos sindicais que representam funcionários estaduais e municipais de uma mesma categoria têm divergências

Hummmmmmmm…
Começou a campanha da mídia para desqualificar as lutas e reivindicações sindicais.

Seria bom que os Policiais Civis estivessem apercebidos desse movimento e dessem a resposta necessária com a sindicalização em massa ao SINDPOL.

O lamentável é ver que muitos “colegas" ainda acham que a valorização nos contra-cheques vai vir sem luta ou sem organização sindical.

Engana-se a mídia ou o Governador em exercício ao apostar em uma desmobilização ou enfraquecimento da categoria Policial Civil por conta dessas MATÉRIAS PAGAS.

Antes, muito pelo contrário, isso só demonstra a movimentação de bastidores daqueles que ainda acreditam que poderão NÃO NOS ATENDER em nossas legítimas reivindicações.

Então…
Que o Governador (candidato) pague para ver e que os “coleguinhas”, que continuam achando que vão ficar em “condições" e vantagens duvidosas, colocando-se contra seus colegas de profissão, apostem seu mandato, suas carreiras, distintivos e liberdade no confronto com a categoria.

A Copa do Mundo e as Olimpíadas estão aí, batendo à porta do nosso estado, e vai ficar muito difícil acreditar que os Agentes ficarão olhando do lado de baixo da tabela de salários a evolução patrimonial e financeira de outros “policiais”, enquanto vivem de empréstimos consignados em folha e “bicos”, relegando suas famílias ao estresse da falta de recursos e dificuldades financeiras.

POLÍCIA é POLÍCIA e BANDIDO é BANDIDO!

Portanto, Alice, muito cuidado com as apostas que você está fazendo, porque a temperatura está elevada e é o SINDPOL - Sindicato dos Policiais Civis do Rio de Janeiro, que ainda consegue manter o nível das reivindicações em um patamar elevado e civilizado.

Mas a categoria Policial Civil está chegando a um PONTO SEM RETORNO, cabendo à população, à mídia, aos empresários e aos governantes escolher se desejam uma POLÍCIA REPUBLICANA, FORTE e MOTIVADA ou preferem ficar com os “Capitães do Mato”, “Capatazes”, “Serviçais”, “Maçanetas" e "Cachorrinhos" que infestam algumas unidades e repartições.

"Alea jacta est"

Comments (View)
Abril 14, 2014

O Clube de Regatas Vasco da Gama é pioneiro em suas ações, investimentos e posicionamentos.

Temos a tradição e a honra a nosso favor, porque fomos único dos chamados quatro Grandes do futebol Carioca a se insurgir contra o racismo que vigorava neste país, fato que ficou conhecido como OS HERÓIS DE 1923 e por isso tenho o MAIOR ORGULHO DE SER VASCAÍNO.

A música CAMISAS NEGRAS, que Homenageia a carta do presidente vascaíno se negando a retirar os atletas negros e pobres do clube e rompendo com a liga carioca racista da época, dá bem o tom do que temos de buscar e destacar nesse momento MEDÍOCRE do Futebol Brasileiro.

"Rio de Janeiro , 7 de abril de 1924
Ofício 261
Quanto à condição de eliminarmos doze (12) dos nossos jogadores das nossas equipes, resolve por unanimidade a Diretoria do Club de Regatas Vasco da Gama, não aceitar…
…São esses doze jogadores jovens, quase todos brasileiros, no começo de sua carreira e o ato público que os pode macular nunca será praticado com a solidariedade dos que dirigem a casa que os acolheu…
…nem sob o pavilhão que eles, com tanta galhardia, cobriram de glórias.
Nestes termos, sentimos ter de comunicar a V. Exa. que desitimos de fazer parte da AMEA.
Dr. José Augusto Prestes
Presidente do C.R.Vasco da Gama”

Tradição, força e honra, fazem parte do nosso DNA e isso tem se perdido nas últimas décadas em razão das idiotices, mesquinhezas e cartolagens que tomaram o centro das atenções na Colina Histórica, beneficiando empresários e bandidos que só se serviram do clube para seus desejos de enriquecimento pessoal.

Há muito que a Taça Guanabara e o Campeonato Carioca vem sendo achincalhado pelas mesmas cartolagens de outrora, prejudicando não apenas o Clube de Regatas Vasco da Gama, mas também e principalmente os demais clubes, nos relegando à MEDIOCRIDADE de quatro equipes que se contentam em competir entre si, impedindo que os “pequenos”, que os “negros e operários" de hoje progridam e cresçam.

Creio que caberá ao Clube de Regatas Vasco da Gama, mais uma vez, fazendo uso de sua tradição, de sua força histórica e de sua IMENSA TORCIDA, mudar esse JOGO DE CARTAS MARCADAS, unindo-se àqueles que também vem sendo prejudicados alhures pela indiferença dos dirigentes em relação às más arbitragens que estão há tempos decidindo jogos e mantendo o Status Quo dos “Quatro Grandes”, em detrimento da qualidade do Futebol Brasileiro.

Eu e muitos outros vascaínos NÃO FAZEMOS A MENOR QUESTÃO de continuar a prestigiar essa COMÉDIA DE ERROS, VULGARIDADE e PEQUENEZ que se tornou a disputa do Título Estadual no Rio de Janeiro.

Que seja montada OUTRA LIGA, com Bangu, Volta Redonda, Audax Rio, América, São Cristóvão, Boa Vista, Bonsucesso, Cabofriense, Duque de Caxias, Friburguense, Macaé, Madureira, Nova Iguaçu, Resende e quem mais desejar, deixando para trás essa vergonha, essa desorganização e falta de profissionalismo que se tornou o futebol em nosso estado.

Eu GARANTO que vai haver público e renda suficientes para bancar os salários de todos os atletas, porque o TORCEDOR, o POVO, aqueles que são a RAZÃO DE SER desse esporte vão poder VOLTAR A ACREDITAR em uma competição onde as VITÓRIAS ou DERROTAS sejam resultado tão somente do esforço de suas equipes e não de “decisões de bastidores" que visem auxiliar, proteger ou garantir os títulos para Vasco, Botafogo, Fluminense ou Flamengo.

Agora a BOLA está nos pés de Roberto Dinamite e da Diretoria do Clube de Regatas Vasco da Gama, de quem esperamos atos heroicos e históricos como aqueles de outrora, sob pena de vermos minguar a presença dos torcedores nos estádios e termos de conviver cada vez mais com a MEDIOCRIDADE de partidas risíveis ou ter de passar a torcer por agremiações estrangeiras para poder admirar o bom futebol.

Comments (View)
Abril 10, 2014

UMA EPIDEMIA IGNORADA e um ATENTADO À DEMOCRACIA

Estatística de Policiais Mortos e Baleados em 2014

O blog da RobertaTrindade, o nosso conhecido PAUTA DO DIA, que trás notícias sobre Polícia e Segurança Pública, parece ser o ÚNICO MEIO DE COMUNICAÇÃO preocupado com a grave e preocupante EPIDEMIA que acomete o Brasil e em especial o Rio de Janeiro.

Em qualquer outro lugar do mundo, esse número de POLICIAIS MORTOS E FERIDOS, já seria considerado uma EPIDEMIA e um GRAVE ATENTADO À DEMOCRACIA!

Mas aqui, ao que parece, o zeloso Ministério Público, o Judiciário, o Legislativo, o Executivo e principalmente o POVO parecem não se importar com as mortes dos Agentes da Lei, dos Defensores da Sociedade e da própria democracia pela qual tanto lutamos.

Estranhamente vemos até mesmo aqueles que “comemoram" a morte de policiais, argumentando que estes são "agentes de repressão" e "representantes ou defensores da burguesia”, num discurso esquediopata desprovido de qualquer nexo, motivado por uma “vingança histórica" levada a público em nome de "presos e perseguidos políticos" que NÃO MAIS EXISTEM.

Falam dos Agentes da Lei, como se estes fossem representantes de uma DITADURA que não mais existe, ou pior ainda, como se NÓS QUE AQUI ESTAMOS tivéssemos participado das ações de perseguição político-ideológica de alhures.

Não percebem, não entendem, que os POLICIAIS, somos gente do povo e tão ou mais vítimas do que os próprios cidadãos que defendemos, porque vivemos expostos a uma violência da qual a maioria somente ouviu ou ouvirá falar nos jornais, em sua sanha de vender cada vez mais, promovendo o pânico.

Estas mesmas pessoas, esse mesmo povo, são aquelas que IDOLATRAM políticas de segurança alienígenas, imaginadas e perpetradas por pessoas que para aqui vieram sob o manto de uma eficiência fictícia, porque em suas instituições sequer eram bem vindos.

Estranho…
Falam tanto dos Estados Unidos, da Inglaterra, Alemanha e outros países capitalistas e democráticos, mas não percebem que SE ESTES NÚMEROS (nem mesmo esses, apenas um quinto destes números) ocorressem por lá, governos cairiam e manifestações estariam ocorrendo, porque eles sabem que: SEM POLÍCIA NÃO EXISTE SOCIEDADE!

Então…
Seguimos aqui no nosso País das Maravilhas, esperando a nossa vez de virar estatística, porque reféns de “panacéias" de "invencionices”, de “fórmulas mágicas" e de ataques de "policiólogos”, “sociólogos" e demais palpiteiros, confortavelmente instalados em seus escritórios e nas salas de aula das Universidades, enquanto dia-a-dia vamos suando, sangrando e morrendo em nome de um ideal!

Obrigado Roberta pela preocupação, carinho e lembrança!

E a você, cidadão carioca e fluminense:
Nós que vamos morrer o saudamos!

Comments (View)
"PACTA SUNT SERVANDA SIC REBUS STANTIBUS"

Esclarecendo: “O combinado não sai caro!”

Alice…
Vai pagar para ver?
Vai desafiar a categoria?
Vai tentar passar a mão no traseiro do “polícia”?
Está achando que vai ficar por isso mesmo?
Está achando que vai ficar barato?
Está achando que somos moleques?

Hummmmmmmmmm…Alice, Alice, Alice… Você precisa parar de tomar esse chazinho alucinógeno com o Chapeleiro Louco e a Lebre de Março!

Lembre-se, Alice, de que os CORRUPTOS, os VENAIS, os BANDIDOS em nosso “País das Maravilhas" não são tantos assim e aqueles que vimos identificando já foram, estão sendo e ainda serão presos!

Não pense que somos PAUS MANDADOS, CAPITÃES DO MATO ou CAPATAZES!

Não esqueça que nós TE CONHECEMOS MUITO BEM, menina!
E sabemos que a Rainha de Copas está bem aí, na sua porta, tentando CORTAR A SUA CABEÇA!

Alice…
Não se deixe enganar pelo homônimo meieiro de Rui Barbosa, porque os interesses desse moço são outros…

É como diz o ditado:

”- Quem avisa… 
…
…
é porque tem boca!”

"PACTA SUNT SERVANDA SIC REBUS STANTIBUS"

Esclarecendo: “O combinado não sai caro!

Alice
Vai pagar para ver?
Vai desafiar a categoria?
Vai tentar passar a mão no traseiro do “polícia”?
Está achando que vai ficar por isso mesmo?
Está achando que vai ficar barato?
Está achando que somos moleques?

Hummmmmmmmmm…
Alice, Alice, Alice… Você precisa parar de tomar esse chazinho alucinógeno com o Chapeleiro Louco e a Lebre de Março!

Lembre-se, Alice, de que os CORRUPTOS, os VENAIS, os BANDIDOS em nosso “País das Maravilhas" não são tantos assim e aqueles que vimos identificando já foram, estão sendo e ainda serão presos!

Não pense que somos PAUS MANDADOS, CAPITÃES DO MATO ou CAPATAZES!

Não esqueça que nós TE CONHECEMOS MUITO BEM, menina!
E sabemos que a Rainha de Copas está bem aí, na sua porta, tentando CORTAR A SUA CABEÇA!

Alice
Não se deixe enganar pelo homônimo meieiro de Rui Barbosa, porque os interesses desse moço são outros…

É como diz o ditado:

”- Quem avisa…


é porque tem boca!”

Comments (View)
Abril 8, 2014
Então o amor e a amizade são isso. Não prendem, não escravizam, não apertam, não sufocam. Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço.” (Mario Quintana)

Frase que posto aqui no meu BLOG em homenagem ao Aniversário de Casamento da minha irmã Luciene e o meu cunhado Marcio!

Que muitos anos mais se juntem a estes percorridos nessa estrada! Lembrando apenas que, como disse o mestre Mario Quintana, o AMOR e a AMIZADE são o LAÇO que os une e portanto este (laço) não pode ser apertado, evitando que se transforme em um nó.

Muita SAÚDE, PAZ, AMOR e PROSPERIDADE a vocês e aos seus queridos familiares, dentre os quais eu logicamente estou incluído (Hehehehehe…)

Comments (View)
NOVA DIRETORIA DO SINPOL/DF REALIZA ATO EM SOLIDARIEDADE AOS POLICIAIS FEDERAIS

Nesta segunda-feira, 07/04/2014, a Diretoria eleita para o Sinpol/DF, gestão 2014/2017, realizou ato de solidariedade aos Policiais Federais, manifestando também seu descontentamento pela forma desigual com que são tratados os diferentes cargos dentro da PCDF.

Nas últimos meses, um clima de comoção geral vem tomando conta do Departamento de Polícia Federal, levando seus agentes a uma série de protestos e manifestações. A busca por maior reconhecimento e valorização não se limita aos policiais federais, sendo certo que encontra forte apelo também entre os policiais civis do DF.

Há pouco mais de uma semana, instrutores e professores da Academia Nacional de Polícia, ANP/DPF realizaram protesto silencioso na solenidade de hasteamento da bandeira. Na última sexta-feira, 04/04/2014, se deu uma nova manifestação, na qual os instrutores vestiram uniforme preto em sinal de luto. O ato teve ampla repercussão nacional, sobretudo no seguimento policial. Aqui na Capital Federal não foi diferente.

A PCDF passa por um período de enormes dificuldades, semelhantes às dos agentes federais. Somos instituições coirmãs, mantidas e organizadas pela União. 
Estamos com os subsídios defasados desde 2006. 
O hiato salarial entre cargos de nível superior na mesma estrutura organizacional gera grande mal-estar e deteriora as relações de trabalho. A falta de efetivo adoece os policiais física e mentalmente. 
Até a presente data o nosso reconhecimento como atividade de nível superior, objeto de acordo no passado, não foi cumprido.

Queremos uma Polícia mais unida, forte e independente. 
Para tanto, precisamos que todos os cargos da atividade policial sejam reconhecidos como atores fundamentais na instituição à qual pertencem. Aos colegas do DPF, prestamos nossa solidariedade e afirmamos também a nossa enorme insatisfação com o tratamento que nos vem sendo dispensado pelos governos federal e distrital.

Juntos Somos Fortes.
Diretoria do Sinpol

———————-

Está chegando a HORA, aliás essa hora já passou, de discutirmos o MODELO DE POLÍCIA JUDICIÁRIA em nosso país!

Nós, Policiais Civis e Federais, NÃO SOMOS Capitães do Mato e somos os grandes responsáveis pelo sucesso das investigações em curso em todo o Brasil.

Ou alguém em sã consciência pode afirmar o contrário?

Aos Delegados de Polícia devemos LEALDADE, mas não devemos FIDELIDADE, porque nossas carreiras são distintas, por conta dos LOBs realizados durante a promulgação da Constituição de 1988, aquela carta esquizofrênica que deu ao Ministério Público os SUPER PODERES que vimos atualmente, fazendo PENDER A BALANÇA da Justiça para o lado da acusação.

Chega dessa história de os Agentes de Autoridade receberem ESMOLAS, MIXARIAS, as SOBRAS que caem das mesas dos governantes!

O Governo do Estado do Rio de Janeiro tem agora, nas mãos do Vice-Governador Fernando Pezão, a chance de fazer história e mudar essa relação IMORAL, INDECENTE, INCOERENTE e porque não dizer ILEGAL que vigora alhures e nós esperamos que o bom senso não tenha abandonado os corredores do Palácio das Laranjeiras.

Afinal, aquele espaço histórico já consagrou, mas também defenestrou políticos ao longo dos muitos anos desse estado que já foi a Capital da República.

NOVA DIRETORIA DO SINPOL/DF REALIZA ATO EM SOLIDARIEDADE AOS POLICIAIS FEDERAIS

Nesta segunda-feira, 07/04/2014, a Diretoria eleita para o Sinpol/DF, gestão 2014/2017, realizou ato de solidariedade aos Policiais Federais, manifestando também seu descontentamento pela forma desigual com que são tratados os diferentes cargos dentro da PCDF.

Nas últimos meses, um clima de comoção geral vem tomando conta do Departamento de Polícia Federal, levando seus agentes a uma série de protestos e manifestações. A busca por maior reconhecimento e valorização não se limita aos policiais federais, sendo certo que encontra forte apelo também entre os policiais civis do DF.

Há pouco mais de uma semana, instrutores e professores da Academia Nacional de Polícia, ANP/DPF realizaram protesto silencioso na solenidade de hasteamento da bandeira. Na última sexta-feira, 04/04/2014, se deu uma nova manifestação, na qual os instrutores vestiram uniforme preto em sinal de luto. O ato teve ampla repercussão nacional, sobretudo no seguimento policial. Aqui na Capital Federal não foi diferente.

A PCDF passa por um período de enormes dificuldades, semelhantes às dos agentes federais. Somos instituições coirmãs, mantidas e organizadas pela União.
Estamos com os subsídios defasados desde 2006.
O hiato salarial entre cargos de nível superior na mesma estrutura organizacional gera grande mal-estar e deteriora as relações de trabalho. A falta de efetivo adoece os policiais física e mentalmente.
Até a presente data o nosso reconhecimento como atividade de nível superior, objeto de acordo no passado, não foi cumprido.

Queremos uma Polícia mais unida, forte e independente.
Para tanto, precisamos que todos os cargos da atividade policial sejam reconhecidos como atores fundamentais na instituição à qual pertencem. Aos colegas do DPF, prestamos nossa solidariedade e afirmamos também a nossa enorme insatisfação com o tratamento que nos vem sendo dispensado pelos governos federal e distrital.

Juntos Somos Fortes.
Diretoria do Sinpol

———————-

Está chegando a HORA, aliás essa hora já passou, de discutirmos o MODELO DE POLÍCIA JUDICIÁRIA em nosso país!

Nós, Policiais Civis e Federais, NÃO SOMOS Capitães do Mato e somos os grandes responsáveis pelo sucesso das investigações em curso em todo o Brasil.

Ou alguém em sã consciência pode afirmar o contrário?

Aos Delegados de Polícia devemos LEALDADE, mas não devemos FIDELIDADE, porque nossas carreiras são distintas, por conta dos LOBs realizados durante a promulgação da Constituição de 1988, aquela carta esquizofrênica que deu ao Ministério Público os SUPER PODERES que vimos atualmente, fazendo PENDER A BALANÇA da Justiça para o lado da acusação.

Chega dessa história de os Agentes de Autoridade receberem ESMOLAS, MIXARIAS, as SOBRAS que caem das mesas dos governantes!

O Governo do Estado do Rio de Janeiro tem agora, nas mãos do Vice-Governador Fernando Pezão, a chance de fazer história e mudar essa relação IMORAL, INDECENTE, INCOERENTE e porque não dizer ILEGAL que vigora alhures e nós esperamos que o bom senso não tenha abandonado os corredores do Palácio das Laranjeiras.

Afinal, aquele espaço histórico já consagrou, mas também defenestrou políticos ao longo dos muitos anos desse estado que já foi a Capital da República.

Comments (View)
Abril 7, 2014

Mais uma homenagem a um brasileiro que PENSA, coisa cada vez mais rara nos dias que correm…

Comments (View)
Abril 6, 2014

Nossa homenagem ao GÊNIO da dramaturgia brasileira (Cinema, Teatro, Rádio e TV), o grande e agora eterno José Wilker.

Quantos atores poderiam dizer essa fala com tal propriedade, beleza e competência?

Essa, sem dúvida nenhuma, como diz o meu amigo Marcelo Mendes, é uma das melhores falas até hoje da teledramaturgia brasileira!

R.I.P.

Comments (View)
Comments (View)
Abril 2, 2014
Homenagem da PCERJ ao nobre Juiz de Direito Alexandre Abrahão que, cumprindo com o seu dever, reconheceu o empenho e o trabalho dos Policiais Civis do SAER que cessaram com as agressões à sociedade perpetradas pelo facínora que era conhecido pela alcunha de “matemático”.

Esclarecemos que nosso AGRADECIMENTO não foi feito pelo arquivamento, mas pela justiça desse ato, porque somos os PRIMEIROS a querer ver FORA DE NOSSA CASA aqueles que, se dizendo policiais, transgridem as leis de nosso país.

Somos a PONTA DA ESPADA, a LINHA DE FRENTE, assim como os membros do Judiciário que, na pessoa do Dr. Alexandre Abrahão, representam o que de melhor existe nos dias atuais quando pensamos no conceito de PATRIOTAS!

Seguimos na luta com FORÇA e HONRA, porque isso ninguém nunca conseguirá nos tirar!

Homenagem da PCERJ ao nobre Juiz de Direito Alexandre Abrahão que, cumprindo com o seu dever, reconheceu o empenho e o trabalho dos Policiais Civis do SAER que cessaram com as agressões à sociedade perpetradas pelo facínora que era conhecido pela alcunha de “matemático”.

Esclarecemos que nosso AGRADECIMENTO não foi feito pelo arquivamento, mas pela justiça desse ato, porque somos os PRIMEIROS a querer ver FORA DE NOSSA CASA aqueles que, se dizendo policiais, transgridem as leis de nosso país.

Somos a PONTA DA ESPADA, a LINHA DE FRENTE, assim como os membros do Judiciário que, na pessoa do Dr. Alexandre Abrahão, representam o que de melhor existe nos dias atuais quando pensamos no conceito de PATRIOTAS!

Seguimos na luta com FORÇA e HONRA, porque isso ninguém nunca conseguirá nos tirar!

Comments (View)
Abril 1, 2014
Doze anos de PCERJ

Por: Carlos Eduardo Rangel (Delegado de Polícia)

Hoje é um dia muito especial, tanto pra mim como para muitos outros amigos de profissão. Completamos, juntos, 12 anos nessa maravilhosa e bicentenária Instituição Policial. Passamos por muitas alegrias, enfrentamos muitos dissabores, mas perseveramos no caminho do bem, voltados sempre para a construção de uma sociedade livre, justa e solidária.

Passaram-se os anos rapidamente, ainda me lembro do primeiro plantão, do primeiro flagrante, da primeira operação, da primeira prisão …

Recordo-me, com desventura, dos amigos que partiram, mas guardo no peito a grata lembrança de suas companhias …

Ao longo da carreira, com prazer e esmero, temos cumprido nossa missão, alheios a todas as circunstâncias políticas, sociais e ideológicas, traspassando todos os obstáculos e intempéries …

Compaixão e indulgência, são os sentimentos que entrego aos críticos do trabalho da Polícia Civil. Por mais duras que sejam, sempre terão o meu perdão, pois, numa análise serena, bem sei que, no âmago da questão, sobeja esse tenebroso hábito, enraizado na cultura tupiniquim.

Asco e desprezo, a seu turno, são os sentimentos que entrego aos “sociólogos de vitrine”(com sua convicção de que a polícia deve resolver os problemas sociais herdados desde os tempos das caravelas lusitanas), aos integrantes da “esquerda caviar”(com sua pregação de igualdade social e distribuição de renda, sempre regada a um bom Romanée-Conti) aos “jornalistas camaleões” (com suas mudanças de pele ao sabor de suas conveniências) e aos muitos outros “policiólogos” (com suas fórmulas newtonianas que sempre profetizam como deveria agir a polícia).

Carinho e amparo, são o sentimentos que tenho recebido dos amigos e familiares, pois, esses sim, nos vêem integralmente como seres humanos, dotados de sonhos, aspirações, angústias e desejos …

Por outro prisma, tenho convivido esses anos com profissionais de alto gabarito, destemidos, abnegados e apaixonados … Anti-heróis do cotidiano, mas verdadeiros super-heróis, protagonistas de uma épica batalha, que a sociedade, em geral, empurra pra debaixo do tapete. 

Antes agente e agora Autoridade, operando o Direito na frontaria, exercendo o labor no chão da fábrica, atendendo com presteza os necessitados, os desapossados, entregando, sim, a prestação jurisdicional num primeiro plano e quiçá o único plano real …

Nosso gabinete é a serventia daqueles que clamam por Justiça, passadiço livre e franco a qualquer cidadão, a qualquer tempo, em qualquer lugar …

Comemoremos, enfim, nossa data especial, com a certeza de que, com humildade e zelo, seguiremos sempre em frente, como outrora versado em nossa ode “em defesa de quem precisar” …

Observação: Publicado sem permissão, a partir de um POST do Facebook compatilhado pelo Comissário Fábio Neira, por entender que as palavras do Delegado são o espelho do sentimento de muitos colegas Policiais Civis.
Ao Delegado, PARABÉNS, pela data e pela carreira e vocação que abraçou, na certeza de que muito em breve também os Agentes de Autoridade terão o que comemorar.
Força e Honra!
Porque pelo menos isso ELES nunca conseguirão nos tirar.

Doze anos de PCERJ

Por: Carlos Eduardo Rangel (Delegado de Polícia)

Hoje é um dia muito especial, tanto pra mim como para muitos outros amigos de profissão. Completamos, juntos, 12 anos nessa maravilhosa e bicentenária Instituição Policial. Passamos por muitas alegrias, enfrentamos muitos dissabores, mas perseveramos no caminho do bem, voltados sempre para a construção de uma sociedade livre, justa e solidária.

Passaram-se os anos rapidamente, ainda me lembro do primeiro plantão, do primeiro flagrante, da primeira operação, da primeira prisão …

Recordo-me, com desventura, dos amigos que partiram, mas guardo no peito a grata lembrança de suas companhias …

Ao longo da carreira, com prazer e esmero, temos cumprido nossa missão, alheios a todas as circunstâncias políticas, sociais e ideológicas, traspassando todos os obstáculos e intempéries …

Compaixão e indulgência, são os sentimentos que entrego aos críticos do trabalho da Polícia Civil. Por mais duras que sejam, sempre terão o meu perdão, pois, numa análise serena, bem sei que, no âmago da questão, sobeja esse tenebroso hábito, enraizado na cultura tupiniquim.

Asco e desprezo, a seu turno, são os sentimentos que entrego aos “sociólogos de vitrine”(com sua convicção de que a polícia deve resolver os problemas sociais herdados desde os tempos das caravelas lusitanas), aos integrantes da “esquerda caviar”(com sua pregação de igualdade social e distribuição de renda, sempre regada a um bom Romanée-Conti) aos “jornalistas camaleões” (com suas mudanças de pele ao sabor de suas conveniências) e aos muitos outros “policiólogos” (com suas fórmulas newtonianas que sempre profetizam como deveria agir a polícia).

Carinho e amparo, são o sentimentos que tenho recebido dos amigos e familiares, pois, esses sim, nos vêem integralmente como seres humanos, dotados de sonhos, aspirações, angústias e desejos …

Por outro prisma, tenho convivido esses anos com profissionais de alto gabarito, destemidos, abnegados e apaixonados … Anti-heróis do cotidiano, mas verdadeiros super-heróis, protagonistas de uma épica batalha, que a sociedade, em geral, empurra pra debaixo do tapete.

Antes agente e agora Autoridade, operando o Direito na frontaria, exercendo o labor no chão da fábrica, atendendo com presteza os necessitados, os desapossados, entregando, sim, a prestação jurisdicional num primeiro plano e quiçá o único plano real …

Nosso gabinete é a serventia daqueles que clamam por Justiça, passadiço livre e franco a qualquer cidadão, a qualquer tempo, em qualquer lugar …

Comemoremos, enfim, nossa data especial, com a certeza de que, com humildade e zelo, seguiremos sempre em frente, como outrora versado em nossa ode “em defesa de quem precisar” …

Observação:
Publicado sem permissão, a partir de um POST do Facebook compatilhado pelo Comissário Fábio Neira, por entender que as palavras do Delegado são o espelho do sentimento de muitos colegas Policiais Civis.
Ao Delegado, PARABÉNS, pela data e pela carreira e vocação que abraçou, na certeza de que muito em breve também os Agentes de Autoridade terão o que comemorar.
Força e Honra!
Porque pelo menos isso ELES nunca conseguirão nos tirar.

Comments (View)
Comments (View)
Março 31, 2014

Policiais civis do RJ cogitam greve na Copa caso governo não cumpra promessa.

(Categoria decide em abril se entra em estado de greve e vai aguardar reajuste até junho.)

Policiais Civis do Rio de Janeiro exigem que o governo cumpra sua promessa de atender às reivindicações salariais da categoria, e levantam a possibilidade de entrar em greve na Copa do Mundo. Em dezembro, o governador Sérgio Cabral anunciou para eles que o pedido de inclusão de uma das gratificações, o da Delegacia Legal, ao salário dos trabalhadores, seria anunciado neste mês de março. A Secretaria de Planejamento já havia inclusive apresentado um plano para esses pagamentos. Em reunião entre governo e categoria na semana passada, no entanto, o vice-governador Luiz Fernando de Souza, o Pezão, que assume o governo no próximo mês, disse que precisaria de tempo para pensar, e que daria um retorno sobre a comprovação do reajuste até junho.

A questão salarial da categoria é antiga, de acordo com Francisco Chao de la Torre, presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro (Sindpol RJ). Como o salário é baixo, os servidores precisam contar com gratificações especiais que, em caso de licença médica, por exemplo, deixam de cair na conta do trabalhador. O que eles sugeriram para o governo era que uma dessas gratificações, a Delegacia Legal, com o valor de R$ 850, entrasse no vencimento de todos os policiais civis. A gratificação, que só seria totalmente inserida em um prazo de cinco anos, seria extinta com o tempo e o servidor não correria o risco de ver seu salário cair ao se aposentar, acidentar ou tirar uma licença maternidade.

Centenas de Policiais Civis realizaram uma assembleia de mobilização nesta segunda-feira (24) para debater a situação, com a participação de entidades como a Coligação dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro (Colpol). No dia 29 de abril, o Sindipol-RJ vai promover outra, para decidir se a categoria entra em estado de greve. No último encontro, eles resolveram esperar até 30 de junho pelo reajuste salarial. Francisco reforça que espera um retorno positivo do governo antes do prazo.

"A sociedade quer uma polícia melhor, é delicado a gente discutir salário na esfera da segurança pública. O Rio viveu uma evasão de empresas, investimentos, que agora teve um retorno, mas até quando? A situação está delicada, ninguém ignora que existe, no mínimo, uma instabilidade. Ninguém quer retrocesso, independentemente da cor política do projeto, a gente quer avanço", declarou Francisco ao JB.

O porta-voz dos policiais civis ressalta que o salário dos delegados de polícia do Rio é o maior da federação, enquanto o dos agentes está na penúltima colocação nacional, de acordo com a Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol). Francisco é inspetor de polícia de terceira classe, duas para chegar ao topo, tem 19 anos de polícia, e seu salário líquido é de R$ 4.500. Na aposentadoria, ele reforça, perderia metade disso, devido às gratificações que o governo oferece por fora.

"Somos 11 mil policiais civis na ativa. Pelo menos 30% têm tempo de profissão suficiente para se aposentar e não se aposenta, para não ter os salários reduzidos." Ele explica que são vários os patamares de gratificação. O Delegacia Legal, por exemplo, não favorece todos os policiais civis, apenas os que trabalham em locais que fazem parte do programa.

De acordo com Francisco, o secretário de Estado de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame tem sido o principal articulador das pautas da categoria, um “grande avalista da negociação salarial, que agiu altruisticamente”.

Além da questão salarial, os policiais civis do Rio ainda se veem agora, acrescenta, com um aumento da demanda pelos seus serviços. Falam ainda das altas taxas de letalidade.

"Cabral determinou que o nosso pleito fosse atendido, a gratificação fosse dada, o Pezão nos pede tempo, até junho, prazo fatal para conceder aumento aos servidores, devido ao processo eleitoral. A gente sempre tenta construir uma estrada de mão dupla, a gente compreende as dificuldades do estado, mas também precisamos ser valorizados", complementa Francisco.

O JB entrou em contato com a assessoria de imprensa do governo do Rio, mas não recebeu retorno até o fechamento desta matéria.

Fonte: Jornal do Brasil

================
Hehehehehehe…

Aliceeeeeeeeeeeeeeee…
Você enlouquece, Alice?
Pare de tomar esse chazinho alucinógeno com o Chapeleiro Louco e a Lebre de Março, porque isso está te fazendo mal!
Como assim PROMETERAM, mas NÃO VÃO CUMPRIR?
O (des)Governador Sérgio Cabral prometeu o aumento com TODAS AS LETRAS, chegando mesmo a dizer na solenidade de entrega de algumas viaturas novas (Eles nos dão brinquedinhos como os Espanhóis e Portugueses davam espelhinhos e bugingangas para os índios) que os Agentes teriam UMA SURPRESA em seus contra-cheques!
A surpresa é a mesma MIXARIA paga desde sempre?
Não bastou a TUNGA que nos deram, quando o DESgoverno Garotinho incorporou R$ 250,00 da GEAT aos vencimentos de Policiais Militares, Bombeiros e Delegados, deixando de fora os Agentes de Autoridade?
Agora vão desafiar a categoria Policial Civil com mais esse DEBOCHE, esse ESCÁRNIO, esse ACINTE às nossas JUSTAS DEMANDAS?
Será que o Governador prefere a categoria NAS RUAS, CONFLAGRADA, em plena Copa do Mundo e às vésperas das Eleições?
Será que o Vice-Governador Pezão, que assumirá em breve com a saída de Sérgio Cabral vai PAGAR PRA VER e tentar “barrigar" a categoria?
Hummmmmmmmmmmm…
Parece que os níveis de inteligência diminuíram sensivelmente nos últimos anos nesse estado.
E ainda estão preocupados com os manifestantes e os Black Blocs que vivem por aí dizendo que NÃO VAI TER COPA nem ELEIÇÕES!
Ah tah…
Então tah!

Kkkkkkkkkkkk…

Comments (View)

Ofício nº 05/2014 SINDELPOL RJ

Ofício nº 05/2014 SINDELPOL RJ
Rio de Janeiro, 24 de março de 2014.

Do: Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado do RJ.
Ao: Ilmo. Presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do RJ Sr. Francisco Chao de La Torre.

Assunto: Assembléia do SINDPOL –RJ (24/03/2014)

Ilustríssimo Presidente,

O Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado do Rio de Janeiro (SINDELPOL-RJ) vem pelo presente documento manifestar seu integral apoio à causa dos Agentes de Polícia da PCERJ.

Há longa data têm os agentes trabalhado arduamente e com considerável sacrifício em prol da sociedade fluminense. Há longo tempo enfrentam os mesmos agentes enorme abismo salarial perante todas as demais categorias profissionais de servidores públicos cuja investidura exija nível superior não específico, tal qual oficiais de justiça, analistas de tribunais, fiscais de renda, etc. Há longo tempo tal abismo salarial, que desrespeita o previsto no art. 39 da CRFB, compromete a qualidade de vida do policial, aumentando em demasia o sacrifício imposto ao próprio e a sua família.

A Polícia Civil, inobistante sua grande dedicação e belos resultados apresentados, não tem como negar que seus Agentes mereçam tratamento salarial mais condizente como a única forma de se externar o verdadeiro reconhecimento ao seu trabalho.

Dificuldades à parte muito prezamos o ambiente salutar e de amizade que, distintamente de outras instituições, prevalece em nosso meio tornando a tarefa de todos no combate à criminalidade um pouco menos árdua.

Com base em todo o exposto nós Delegados de Polícia do Estado do Rio de Janeiro agradecemos aos nossos Agentes por toda a dedicação que sempre demonstraram, pela amizade, e externamos nosso irrestrito apoio à sua causa, considerando que a melhoria consistente de sua condição salarial seja o único meio de se reconhecer seus méritos e estimular de maneira sensível a continua melhoria do serviço prestado por nossa instituição à população.

Aplaudimos seu empenho, nos orgulhamos por tê-los como nossos colegas, e somos seus aliados nessa JUSTÍSSIMA causa, que merece ser tratada como prioridade por nossa instituição.

Aproveitamos para renovar os protestos de estima e consideração.

LEONARDO AFFONSO DANTAS DOS SANTOS
Presidente do SINDELPOL RJ

=============
Extraído do site do SINDPOL, para conhecimento daqueles que “visitam" esse BLOG.

Ao que parece, apesar de não se mobilizar anteriormente pelo aumento dos servidores POLICIAIS CIVIS, que efetivamente CARREGAM A PCERJ nas costas, agora os Delegados que compõem o SINDELPOL RJ estão se manifestando em apoio à categoria dos Agentes de Autoridade.

Evidentemente esse “apoio" é recebido com satisfação, mas com reservas, pois em outras oportunidades foram efetivamente os Delegados que tentaram manietar, intimidar e até mesmo impedir os agentes de tornar EFETIVAS suas reivindicações, seja pelo legítimo instrumento da GREVE ou até mesmo pela prática da Cartilha do Cumpra-se a Lei.

Ainda temos na memória a ocorrência de ligações de um agora ex-chefe de polícia para Titulares de Unidades, com vistas a que estes pressionassem os agentes lotados para que agissem em desacordo com as orientações do SINDPOL, sendo que na oportunidade até mesmo uma Delegada (a Drª Monique Vidal) chegou a PERDER A TITULARIDADE de sua unidade por colocar-se ao lado dos agentes em seu legítimo pleito.

Então, em que pese nossa alegria em saber que os Delegados PARECEM estar finalmente entendendo que O FUTURO DA PCERJ passa pelo reconhecimento dos Agentes no atendimento aos seus legítimos pleitos por melhores vencimentos, continuamos DE PÉ ATRÁS com a categoria que, pelo menos até o momento, sempre esteve com os olhos voltados para os seus próprios umbigos, desconhecendo convenientemente a PENÚRIA em que os Policiais Civis vivem.

Nenhum de nós deseja ver REEDITADO na Polícia Civil do Rio de Janeiro o embate que ora se desenvolve no plano federal, até mesmo porque somos sabedores de que uma DEMANDA DESTA NATUREZA surgida aqui na antiga Capital da República pode facilmente GANHAR as demais unidades da Federação, trazendo para o plano nacional um debate que há muito vem sendo adiado, qual seja, a discussão do nosso MODELO DE POLÍCIA JUDICIÁRIA em nosso país.

Na prática os Delegados, muito justamente diga-se de passagem, passaram a ser o SEGUNDO MELHOR salário da Federação no Governo Sérgio Cabral, enquanto os Agentes de Autoridade continuaram na PENÚLTIMA COLOCAÇÃO neste ranking nacional, sem que isso tivesse incomodado em nenhum momento aos supostos “lideres" de nossa Instituição.

Justiça seja feita à Drª Martha Rocha, ex-Chefe de Polícia que, ao contrário de seus antecessores, adotou postura de apoio declarado aos pleitos dos Agentes nas reuniões com a Secretaria de Segurança o com Governo do Estado, sempre recebendo e encaminhando nossos pleitos com presteza e consideração.

Mas é certo que sendo a Chefia de Polícia um cargo ocupado por designação POLÍTICA, não passa pela cabeça dos Agentes que a pressão sobre o governo pelo atendimento às demandas de nossa categoria seja um dia efetiva, pois isso apenas causaria a QUEDA RÁPIDA E VERTIGINOSA do Chefe que encampasse essa bandeira, como o fez o Comando da PMERJ no último pleito (arrastando os Agentes da Polícia Civil que estavam ficando de fora sem que isso causasse espécie aos Delegados), porque lá, diferentemente daqui, os vencimentos de Oficiais e Praças estão efetivamente LIGADOS.

Eles TODOS são Policiais Militares, o que na ocorre na PCERJ, infelizmente.

O fato é que mais cedo ou mais tarde a POSIÇÃO CÔMODA dos Delegados será desafiada pela lógica, porque os Agentes de Autoridade, que sabidamente são os responsáveis pelas investigações e pela eficiência da máquina investigativa e administrativa da PCERJ, deixarão de aceitar o papel de Capitães do Mato, de Feitores de Escravos, de miseráveis, mantidos por “condições" (algumas até mesmo espúrias e suspeitas, como bem provaram algumas Operações da Polícia Federal e algumas investigações da COINPOL), cobrando do Governo do Estado o justo reconhecimento desse papel nos contra-cheques.

Aí, nessa hora, neste momento capital para a história da Polícia Judiciária Estadual e Federal é que estaremos atentos ao posicionamento dos Delegados de Polícia, até mesmo porque a Polícia Civil funciona muito bem sem Delegados, mas PARA sem o empenho e a dedicação dos Agentes de Autoridade.

Hummmmmmmmm…
Talvez, quem sabe a Rainha de Copas, o Chapeleiro Louco e a Lebre de Março tenham parado de tomar o seu chazinho alucinógeno no País das Maravilhas!
Será? Será? Seráááááá…
Alice, Alice, Alice… Quando será que você vai entender que seu papel é de PROTAGONISTA e não de COADJUVANTE?

Comments (View)